No país, o IPCA e a cena externa ganham atenção

Após uma sessão de intensa volatilidade, os mercados brasileiros podem ter um dia de menor pressão, acompanhando o tom de maior tranquilidade visto no exterior. Contudo, a agenda econômica intensa, tanto no Brasil quanto no exterior, pode trazer instabilidade às negociações ao longo do dia.

Sem descuidar do noticiário externo, em especial do resultado sobre o mercado de trabalho dos EUA, os investidores ficam atentos aos números do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em novembro.

Destaque, ainda, para o front corporativo: uma decisão da 24ª Vara Cível Federal de São Paulo concedeu liminar suspendendo o negócio entre a Embraer e a Boeing — o que pode afetar as ações da empresa brasileira na sessão de hoje. A companhia brasileira informou que irá tomar “todas as medidas judiciais cabíveis” para reverter a decisão.

No lado político, eventuais novas declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro ou de membros de sua equipe a respeito da reforma da Previdência também podem movimentar os ativos locais, assim como possíveis desdobramentos das discussões envolvendo a cessão onerosa. Esse último fator é especialmente importante para a Petrobras, cujas ações estiveram entre as maiores perdas do Ibovespa no último pregão.

Ontem, o Ibovespa fechou em queda de 0,22%, aos 88.846 pontos, mas chegou a cair 2,26% na mínima, aos 87.025 pontos — na semana, o índice acumula perda de 0,77%, o que pode estimular um movimento comprador. (do Valor Econômico)

Comentários
Sem comentários ainda. Seja o primeiro.